A alimentação do bebé

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

alimentação do bebéTanto o biberão como o peito são extremamente importantes na alimentação do bebé, não apenas pela alimentação em si, mas também pelos momentos de intimidade proporcionados. Um ambiente relaxado e de tranquilidade é fundamental quando alimenta o seu bebé. Leve o tempo que for necessário e evite ser incomodada, pois este é um prazer maravilhoso e um momento único, o do contacto físico com o seu filho.

Deve-se tentar fazer arrotar o bebé depois da amamentação, pois a pressão da sucção é tão forte que normalmente costuma sugar também ar, pelo que se deve dar umas palmadinhas nas costas. Não se esqueça de colocar uma toalha sobre o ombro porque os lactentes quando arrotam têm a tendência de expulsar um pouco de leite juntamente com o ar.

Cólicas do lactente; assim dizem os médicos quando o bebé (sobretudo aqueles que se alimentam com o biberão) tem com frequência cólicas que provocam um pranto permanente, fazendo sentir impotentes os pais. Isto não a deve preocupar demasiado pois é uma coisa normal. Estas cólicas aparecem nos primeiros 2 ou 3 meses e muitos médicos dizem que a causa está no facto de entrar algum ar da sucção, pelo que é importante fazer o bebé arrotar durante e após ter alimentado o bebé.

Alimentação complementar: deve ser feita a seu tempo, sendo melhor optar por manter no primeiro semestre a alimentação do bebé à base do leite materno ou artificial pois tem os nutrientes necessários. Para além disso o sistema digestivo do bebé tem de se desenvolver antes de começar a ingerir alimentos sólidos que devem ser dados gradualmente ao bebé, após os 6 meses de idade. Não é recomendável dar-lhe leite de vaca, senão a partir do primeiro ano de vida, devido às proteínas estranhas para o organismo do bebé contidas neste tipo de leite.

De um modo geral após os 180 dias (início do 6º mês) há a introdução progressiva de alimentação complementar de forma que no final do 1º ano a criança tenha uma alimentação semelhante à da sua família.

A alimentação complementar inicial deve ser oferecida pouco a pouco e respondendo aos sinais de interesse e maturidade do bebé, 2 a 3 refeições maiores por dia (sendo que só uma deve ter proteína, ou seja carne) mantendo o aleitamento materno, se possível, em horário livre e de acordo com a vontade da criança mais 1 ou 2 pequenas refeições de leite materno, legumes esmagados (evitar bolachas, e outros alimentos com açúcar).

Em caso de ter terminado de aleitar dar 2 a 3 biberões de leite artificial de acordo com a vontade da bebé.

Há que ter atenção ao apetite da criança e ao seu peso, cada criança é única e dá sinais que a mãe sabe bem reconhecer.

Preparação: o biberão deve ser preparado apenas quando der leite ao bebé. Os alimentos modernos para o bebé estão livres de germes e se deixar o biberão ao ar livre algum tempo, este poderá ser contaminado. Se o bebé não beber tudo deve retirar a tetina e preparar uma nova devidamente limpa nas ocasiões seguintes.

Para aquecer o leite muitos médicos não recomendam usar o microondas, pois segundo eles será muito melhor se o fizer em banho-maria.

A alimentação do seu filho é um passo fundamental para o seu desenvolvimento, tanto para o fornecimento de nutrientes como na criação de um importante laço de tranquilidade e confiança.

Deixe o seu comentário