As crianças e a televisão

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

televisãoA televisão tem actualmente um lugar de destaque na maioria dos lares, sendo provavelmente a tecnologia com a qual as pessoas mais passam o seu tempo livre.

Em relação aos nossos filhos é preciso actuar com responsabilidade quando os deixamos em frente à TV. Deve ter em conta alguns factores como por exemplo, o que os poderá afectar na programação televisiva. É necessário ter levar em conta que atitudes pouco correctas transmitidas pela televisão, logo desde a infância, poderão ser origem de futuras acções e comportamentos logo a partir da adolescência, como por exemplo imitação de estereótipos e imitação de conteúdos violentos.

É recomendável não colocar as crianças com menos de dois anos em frente à televisão e depois desta idade nunca mais do que duas horas por dia, devendo ainda estar um dos pais presente para controlar o tipo de programa que está a ser visualizado pelo filho.

Alguns estudos têm mostrado que as crianças que passam demasiado tempo em frente à televisão apresentam baixo rendimento escolar, além desta actividade limitar a criatividade e a aprendizagem de novos conhecimentos.

Certos programas podem ainda estar na origem de alguns comportamentos nos adolescentes, como a precocidade nas relações sexuais ou na promoção do consumo de álcool e drogas.

Os programas violentos podem ainda estar na origem de comportamentos desviantes na conduta das crianças, se bem que também poderá ser uma possibilidade à qual nem todos estão receptivos, uma vez que alguns nem sequer se sentem atraídos pela televisão.

Muitas crianças e adolescentes identificam o mundo real com o que vêm na televisão e em consequência dos estereótipos mostrados no écran, poderão eventualmente provocar alguns problemas de saúde como a bulimia ou anorexia, ou estar na origem de comportamentos de consumismo massivo.

Tente não ter a televisão ligada enquanto se toma as refeições em família, para facilitar o diálogo familiar. E quando estiverem todos juntos a ver televisão tente debater os gostos pessoais e que estão a ver.

No entanto não se pode culpar exclusivamente a televisão pelas atitudes negativas das crianças ou adolescentes. Todas as crianças e adolescentes são diferentes, e não quer necessariamente dizer que pelo facto de verem televisão estão automaticamente predispostos e praticar todas as acções que vêm. No final tudo irá depender dos pais e da educação que dão aos seus filhos.

Deixe o seu comentário