As crianças com asma

asmaA asma é uma doença do aparelho respiratório muito comum nas crianças, sendo mais frequente nos rapazes do que nas raparigas. Pode aparecer em qualquer momento mas é mais frequente nos primeiros cinco anos, embora ¼ das crianças venha a sofrer desta doença no seu primeiro ano de vida.

A asma é uma doença inflamatória crónica, tratando-se de uma obstrução nos brônquios mas que é reversível. Pode ser curada naturalmente ou com tratamentos que induzem a resposta da criança a vários estímulos, como por exemplo os fármacos, exercício físico, choro, etc. Alguns dos factores que podem desencadear a asma são:

– Antecedentes na família de asma ou de alergias.

– Exposição ao fumo dos cigarros, especialmente se a mãe é fumadora.

– Sofrer de dermatite e/ou rinite alérgica.

– O contacto frequente com animais ou com ácaros.

– Abandono precoce da aleitação materna.

– Frequentes infecções virais.

 

Como enfrentar uma crise de asma do seu filho?

Em primeiro lugar deve entender como funciona a doença nesta situação. A criança começa a sentir-se incomodado com tosse seca, com uma pressão no peito e o ar começa a passar com dificuldade produzindo um silvo no peito e uma sensação de afogamento e de falta de ar.

Antes de dar o medicamento ao seu filho, acalme-se um pouco e transmita-lhe segurança. Se estiver nervoso, irá pô-lo também nervoso e isso irá fazer com que respire mais depressa e piorar o seu estado. Deve procurar que o seu filho esteja cómodo e o mais tranquilo possível. Dê-lhe uma bebida fresca, de forma e distrai-lo e para que não perca líquidos.

Existem três tipos de crises asmáticas. A leve que é a que ocorre quando há tosse seca, alguma dificuldade para respirar, pressão no tórax e acontece quando a criança está em movimento. A moderada tem os mesmos sintomas que a anterior, mas sem que a criança esteja a exercitar-se. Uma crise grave acontece quando está em repouso e a criança não consegue falar nem mover-se.

Os sintomas podem aparecer subitamente e durante vários dias. Deve tomar atenção à respiração e tosse do seu filho verificando se não será eventualmente catarro. E caso os sinais de alarme se confirmem e seja efectivamente um ataque de asma, deverá ministrar a medicação adequada pelo pediatra para minimizar os sintomas.

Deixe o seu comentário