Rejeitar a homossexualidade de um filho pode causar danos à sua saúde mental

saúdeA saúde psicológica dos filhos homossexuais é severamente afectada pela aceitação ou não por parte dos seus familiares. A expressão “pública” da homossexualidade, popularmente conhecida como “sair do armário”, deve ter o apoio total da família do individuo: estudos recentes mostram que a rejeição familiar aumenta o risco de depressão, suicídio e dependência de drogas ilegais.

Os gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais que sentem rejeição familiar, podem tentar o suicídio 8,4 mais vezes do que aqueles que são bem aceites, 5,9 mais vezes de sofrer de depressão e são 3,4 mais vezes propensos ao consumo de drogas ilegais.

O estudo intitulado “A rejeição familiar como factor preditivo de consequências negativas para a saúde de jovens lésbicas, gays e homossexuais brancos e latinos” foi publicado na revista “Pediatrics”, e foi escrito pela doutora Caitlin Ryan, directora do projecto “Aceitação Familiar” da Universidade Estatal de São Francisco nos Estados Unidos.

Segundo este estudo, os pais que não aceitam os filhos devido à sua condição sexual, poderão alterar o seu comportamento se compreenderem os danos que podem provocar nos seus filhos.

O trabalho foi realizado com 245 jovens lésbicas, gays e bissexuais, com idades entre os 21 e os 25 anos de idade, cujas preferências sexuais eram conhecidas por pelo menos um dos seus pais. O resultado do estudo mostrou que pelo menos metade das pessoas que foram rejeitadas devidos à sua sexualidade e serem menores de idade, sofrem de problemas de saúde mental.

Deixe o seu comentário